Acontece no Campus

Laboratórios recém-inaugurados possuem máquinas, área aberta para vivência e tecnologias para cálculos precisos

Nova área de ensino prático para os cursos de Engenharia (Foto: Glauco Martinez)

O Centro Universitário Módulo inaugurou novos laboratórios para os cursos de Engenharia Civil e Engenharia de Produção, sendo a primeira instituição do Vale do Paraíba a proporcionar isto. São espaços adequados para se por em prática toda a teoria aplicada em sala de aula, trazendo a oportunidade para que os alunos tenham o primeiro contato com programas específicos para a área. Esta será uma oportunidade para lidar com esses instrumentos no dia a dia, aumentando a possibilidade para que sejam feitas pesquisas científicas na área.

O ambiente se divide em três salas no total. Uma delas contém apenas notebooks com softwares destinados ao ensino, já que os cálculos nesta área exigem uma enorme precisão, tornando mais rápido e mais fácil a vida dos futuros engenheiros.

As outras salas focam na parte prática.  Nelas, será possível mexer com materiais, testando cada um com o qual eles pretendam lidar. Neste ambiente, será possível  fazer concreto entres outras atividades.

Para Fillipe Mathias, coordenador dos cursos, “os novos laboratórios são totalmente essenciais para os alunos, trazendo o que eles passarão futuramente para dentro do campus.”

Novos equipamentos para aulas praticas dos cursos de Engenharia (Foto: Glauco Martinez)

 

Além dos três ambientes dentro do bloco, há ainda uma área ao ar livre, proporcionando aos alunos a experiência de aplicar os conhecimentos com condições parecidas com obras. “A ideia é prepará-los para a realidade”, explica o coordenador.

Para o aluno Hugo Santos os laboratórios tem uma infra-estrutura ótima. “Eles trazem oportunidades dentro da faculdade de pesquisa e maiores conhecimentos, o que nos deixa muito mais preparados para o mercado de trabalho.”

O câncer de mama é o tipo mais comum nas mulheres, representando 25% dos casos novos

Alguns dos alunos participantes do projeto. (Foto: Arquivo Pessoal).

Na última semana (23) a turma de enfermagem do Centro Universitário Módulo, juntamente com a coordenadora do curso Ana Flora Gobbo e as professoras e enfermeiras Shirley Marcondes e Lidiane Dias, realizaram a Campanha do Outubro Rosa.  Foram 65 pessoas doadoras de cabelo e as mechas serão destinadas ao Instituto do Câncer do Estado de São Paulo – ICESP.

Durante o dia do projeto, que funcionou pela manhã das 9 às 11 horas e à noite das 19 às 22 horas, foram distribuídas senhas. A distribuição só parou porque o número de interessados era maior do que o tempo que os profissionais dispunham para realizar os cortes.

No dia, todos podiam participar. Era só chegar e pegar uma senha e esperar os cabeleireiros voluntários, que somavam em três profissionais: Daniela, Vicente e Gisele que é aluna de enfermagem. “Ainda não sabemos quantas perucas vão ser feitas através das doações. O Instituto vai informar depois, quantas conseguiram produzir”, disse Lidiane.

Doadores, alunos e voluntários no dia da Campanha do Outubro Rosa. (Foto: Arquivo Pessoal).

A ideia do projeto partiu de uma postagem que as professoras viram em uma rede social e pensaram que poderiam fazer algo parecido no Módulo. “Em torno de 20 dias, nós já organizamos tudo. Foi muito rápido. Vimos a ideia e passamos para coordenadora, que aprovou”, explicaram as professoras.

Na sexta-feira anterior ao evento, os alunos do curso de Enfermagem foram às salas da universidade, para anunciar a campanha, como aconteceria e seu objetivo, que era principalmente a conscientização do câncer de mama e a doação de cabelos para confecção de perucas destinada as mulheres portadoras da doença.

Mariana Medeiros e sua mãe Selma Medeiros no dia da doação das mechas. (Foto: Arquivo pessoal)

“O privilégio de saber que posso proporcionar a felicidade e a melhora da autoestima da mulher em um momento tão delicado, que é o tratamento do câncer, trazer o sorriso de volta a ela e transmitir carinho e amor pelas mechas do meu cabelo, não há preço que pague!”, citou Mariana Medeiros, 20, estudante de enfermagem que levou sua mãe Selma Medeiros, 55, para doar junto com ela.

“Em uma conversa com os alunos, eu disse que nosso cabelo cresce de novo. Eu tive um filho com câncer, que se incomodava muito com o fato de ser careca. Ele dizia ‘mãe as pessoas estão me olhando’. Eu sei como é”, lembrou Shirley.

65 mechas de cabelo foram doadas ao todo na campanha. (Foto: Jhessica Fernandes).

O câncer de mama é a segunda doença que mais causa morte de mulheres no Brasil segundo o site IBRADOC (Instituto Brasil Doméstico Cidadão), em primeiro lugar são as doenças cardiovasculares. É fundamental que a população seja orientada, através de campanhas, focando na prevenção e mudanças de hábitos.

Para o Brasil, em 2016, eram esperados mais de 57 mil casos novos de câncer de mama. O câncer de mama corresponde a cerca de 25% dos casos novos a cada ano. Especificamente no Brasil, esse percentual é um pouco mais elevado e chega a 28,1%, conforme registra o site INCA. Ainda segundo o site, é importante a mulher fazer o autoexame,  mamografia regularmente, principalmente após os 40 anos de idade, e seguir todas as orientações e instruções médicas.

Em relação ao novembro azul, as professoras disseram que a comunidade acadêmica pode ficar no aguardo, já que haverá uma campanha voltada ao mês de prevenção e conscientização do câncer de próstata. “É segredo ainda, mas assim que for aprovado pela reitoria, será divulgado o projeto”, diz Ana Flora.

E no ano que vem a coordenação do curso de Enfermagem pretende repetir a Campanha do Outubro Rosa. “Principalmente devido ao sucesso. Pensamos até em fazer dois dias, mas preferimos guardar um pouco do gás para o Novembro Azul”, completou Lidiane.

Transgeneridade, mulher negra, rádio e planejamento de comunicação são os temas focalizados

Nas aulas e em casa, nessa hora, o objetivo é um só: terminar o TCC. Ufa!!! (Foto: Samara Felix)

Os alunos do último ano de Jornalismo do Centro Universitário Modulo estão na reta final do TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), que deverá ser entregue até o dia 29 de novembro. Os estudantes podem realizar o trabalho em grupo de até três integrantes ou individualmente. A apresentação acontecerá nos dias 6 e 7 de dezembro.

No total são quatro temas, três elaborados em grupos e um individualmente, pelo aluno Conrado Balut,  que está produzindo um radio-documentário que trata da relação emocional entre o veículo e seu ouvinte. O aluno explica: “o rádio é um meio de comunicação que utiliza apenas um sentido do corpo, a audição, por esse motivo mexe com a imaginação do telespectador. O objetivo do meu projeto  é mostrar a relação das pessoas com o rádio”.

Conrado é formado em locução pela Radioficina, de São Paulo, e trabalhou como repórter e apresentador no Jornal da Morada, da Rádio Morada do Sol. “Essa experiência me incentivou a querer escolher este tema”, explicou. A orientação do trabalho é do Prof. Dr. Lourival da Cruz Galvão Júnior.

Um outro trabalho feito como TCC aborda outra área do Jornalismo, a de Comunicação Organizacional. As alunas Ana Carolina Assunção, Bruna Carla Rodrigues e Izamara Compertino estão realizando todo o Planejamento de Comunicação Organizacional para a lanchonete Almanaque Café, instalada nos campi do Centro Universitário Modulo, em Caraguatatuba. O projeto tem como orientador o Prof. Dr. Gerson Moreira Lima.

Segundo Ana Carolina Assunção, o tema foi escolhido após um trabalho realizado no sexto semestre do curso, no qual era necessário criar um planejamento organizacional de comunicação para uma das lanchonetes que atuam no campus da universidade. “Não era apenas um trabalho para obter a nota necessária, estávamos realmente gostando de sermos gestoras de comunicação. Escolhemos este tema por entendermos o crescimento das oportunidades nessa área do Jornalismo no Litoral Norte de São Paulo e por vermos, neste TCC, uma chance de traçar novos caminhos em um futuro próximo, na área da gestão de comunicação”, conta Ana Carolina Assunção.

Já no grupo de Luiza Marson, Luciana Maximo e Matheus Almeida, o tema escolhido é Transgeneridade, que tem como objetivo através de um vídeo-documentário, falar das diferenças e como promover a tolerância entre as pessoas. “A ideia surgiu por eu ter lido uma matéria falando que o Brasil é o país onde mais se matam transgêneros no mundo e que é o país com maior consumo de pornografia transgênera. Eu fiquei abismada com esses extremos”, explicou a estudante Luiza Marson. A orientação do TCC é feita pelo Prof. Ms. Paulo Rogério de Arruda.

Outro assunto focalizado como tema de TCC é relativo a  quando as mulheres negras descobrem que são. O trabalho que também será apesentado como documentário para televisão está sendo produzido por Valéria Andrade, Patrícia Giorgetto e Luiz Brener, que tem como orientador também o professor Galvão. O assunto surgiu a partir de uma memória de infância de uma das integrantes do grupo, Valéria Andrade, que é negra. Ela relembra quando questionou seus pais sobre a cor de sua pele. “Eu perguntei para eles por que eu era “marrom” e hoje eu entendo que essa surpresa foi mais pelo fato de eu não ver muita gente negra na época, de ligar a TV e ver a Xuxa com as paquitas loiras, de comprar bonecas sempre loiras e de olhos azuis”.

Os estudantes contam que tiveram dificuldade com a falta de tempo, por isso Ana Carolina Assunção deixa um conselho para quem ainda irá fazer seu TCC. “Eu diria para nunca deixarem acumular trabalhos nem atividades. Ler todos os gêneros de notícias também é importante, já que o jornalista é um profissional que conhece um pouco de tudo”.

Valéria Andrade também deixa uma dica: “estudem não só para a nota ou para fazer bonito, porque vale muito mais você ter conhecimento do que passar numa matéria. A pessoa adquire um diploma, mas é “mega quadrada”, do que adianta?”, questiona.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

0 15

Atualmente existem 475 vagas para carros e motos e a última ampliação foi no ano passado

Quando faltam vagas, o jeito é estacionar em cima da calçada.

O estacionamento do Campus Martim de Sá do Centro Universitário Módulo é tema recorrente entre os alunos. Atualmente,  conta com 475 vagas, sendo 225 para carros e 250 para motos. Com a vinda dos alunos que estudavam no Campus Centro para o Campus da Martim de Sá, houve um aumento de cerca de 150 veículos estacionados na universidade, o que exigiu a ampliação do local, com a criação de mais vagas atrás do bloco III. O trabalho foi realizado em agosto do ano passado (2016). Segundo Nilson dos Santos, supervisor de Patrimônio do Módulo, os dias com mais procura de vagas para estacionar no Campus são de segunda a quinta. A Universidade não cobra qualquer taxa para os alunos e professores estacionarem no local.

Estacionamento de motos na entrada pelo portão principal da Universidade. (Fotos: Bianca Américo)

Apesar da ampliação de vagas, alguns alunos ainda reclamam. Esse é o caso de Benito Camargo que vai de moto para a faculdade. Ele reivindica a demarcação por faixas do estacionamento de motos que fica logo na entrada da portaria principal, ao lado esquerdo. Se isso for feito não ficará uma moto “enfiada atrás da outra e não atrapalhará quem colocou primeiro. quando for sair”.

 

No local, até o final do primeiro semestre, junto as motos, ficava o carrinho de pipoca de Durval Barbosa. O contrato terminou e foram abertas ali mais vagas para as motos. Barbosa concorda que não era correto ter um estacionamento perto das barracas de comida, “sem falar que é muito arriscado; perdi as contas de quantas vezes as motos paravam quase em cima das pessoas”,

Já a aluna de Pedagogia, Evelyn Benedito, reivindica melhorias no piso onde os carros ficam estacionados.  “Ninguém merece estacionar na lama, nem em cima das plantas”, desabafa.

 

 

 

Mara Cirino explicou sobre as estratégias de Marketing e assessoria da Fundação

Mara transmitiu um pouco de suas experiências na área de assessoria da FUNDACC (Foto:Bianca Oliveira)

Mara Cirino realizou no segundo dia de Semana Institucional (19/09) palestra sobre as estratégias de Marketing e assessoria da Fundação educacional e Cultural de Caraguatatuba (FUNDACC).

Formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, em 1992, pela Universidade de Ribeirão Preto (Unaerp), Mara já trabalhou como repórter, chefe de reportagem e editora em veículos de comunicação impressa como A Notícia, Diário da Região, Folha de Rio Preto, Dia e Noite, DHoje Interior, Vale Paraibano e Imprensa Livre.

Nos meios eletrônicos, atuou na TV Record Rio Preto como produtora de telejornal e nas rádios CBN, Brasil Novo, Cultura e Morada como repórter, produtora e apresentadora. Trabalhou muito na área do jornal impresso e atualmente trabalha na assessoria de comunicação da FUNDACC.

”Trabalhamos principalmente com as novas mídias, até por que é uma área que alcança um número significativo de espectadores fazendo com que chegue a informação ao maior número de pessoas possíveis”, explica Mara. O importante é fazer isso sempre inovando na área da comunicação, para que não falte o acesso à informação.

Mara também abordou a questão da assessoria de imprensa versus redação. “Eu acho que o jornalista tem que passar por todos veículos, eu já passei pelo rádio, redação, TV, jornal impresso e agora estou quase me especializando na área de assessoria”, afirmou.

Segundo a jornalista,  há uma distinção entre assessoria de imprensa e assessoria de comunicação. A de comunicação é mais voltada a um trabalho como um todo, dentro de um setor, trabalha com filmagem, fotografia, mídias sociais. Para Mara, esse segmento é importante principalmente para as empresas.

“Hoje muita gente faz assessoria à distância e a pessoa acaba não vivenciando a experiência e a emoção do momento”, explica.

Mara explanou ainda sobre as publicações mensais da FUNDACC, como por exemplo o Obelisco, que é produzido pelos estagiários e profissionais da comunicação da Prefeitura. A assessora abordou os diversos temas e capas de cada mês, como é organizada a agenda de eventos e shows da cidade, circulação do folheto, e como funciona a organização e horários de fechamento das publicações.

 

Mara Cirino falou na Semana Institucional sobre as estratégias de comunicação da FUNDACC

Palestra superou expectativas dos alunos(Foto:Kate Dos Santos)

No segundo dia da Semana Institucional, a jornalista Mara Cirino apresentou sua experiência à frente da Comunicação da FUNDACC. Para os alunos, o evento foi importante para acrescentar conhecimentos ao que já é discutido no curso.

Para Ariel Pereira, do segundo semestre de Publicidade e Propaganda,  foi compartilhado na palestra uma bagagem enriquecedora, que levará consigo para toda sua vida. “Dúvidas que eu tinha sobre a área foram esclarecidas nessa palestra, pois Assessoria também faz parte da área que desejo me especializar na Publicidade. Estou amando o curso e esse tema vai fortalecer meus conhecimentos. Gostei muito”, declarou.

A estudante Ana Paula dos Santos se disse satisfeita com o que foi apresentado por Mara. ”Foi bem esclarecedora, pois estou no primeiro ano de comunicação. A palestrante compartilhou conhecimentos na parte de assessoria de imprensa e como alcançar o público alvo através de uma matéria bem elaborada”.

Mara Cirino disse durante a palestra que é essencial o compartilhamento de experiências, de erros e acertos, para o crescimento profissional dos estudantes. “Tenho alunos de Jornalismo estagiando comigo na FUNDACC, e tudo o que eles exercem é sempre bem vindo. Estamos sempre aprendendo uns com os outros no ambiente de trabalho”, declarou.

Ela ainda deu dicas importantes de como desenvolver o estágio na área de comunicação, como trabalhar a procura de pautas, sendo comunicativo e investigativo. Mara também afirmou que é importante a busca pelo conhecimento através da leitura de jornais e livros.

Coordenador dos cursos de Jornalismo e Publicidade parabenizou os alunos e professores que organizaram o evento

Aluna do sexto semestre de Jornalismo entrevista professor Galvão. (Foto: Ivânio Abreu)

Uma oportunidade de aprendizado e uma possibilidade real de ação jornalística no campo institucional”, assim definiu o professor coordenador dos cursos de Jornalismo e Publicidade, Lourival da Cruz Galvão Júnior, sobre a XXIV Semana Institucional do Centro Universitário Módulo,que foi realizada de 18 a 22 de setembro, e trouxe diversos profissionais da área de Jornalismo, Marketing e Publicidade para expor suas experiências e conhecimentos.

Segundo Galvão, o evento foi muito bem planejado antes, durante e até mesmo depois. “Houve um envolvimento muito forte dos alunos do quinto e sexto semestres de Jornalismo, que se doaram e abraçaram todo o processo de organização do evento, indo atrás dos palestrantes, produzindo material de apoio; até mapa para chegar ao local foi feito pelos alunos!”, contou o coordenador ao FocaNaWeb.

Uma das alunas que se destacou pelo bom trabalho na organização do evento foi Jéssica Vidal, do sexto semestre de Jornalismo. Para ela, a organização foi bastante complicada, mas, ao mesmo tempo, bem proveitosa. “Nós nos deparamos com diversos problemas corriqueiros que já esperávamos, mas conseguimos contornar tudo e tenho certeza que passamos uma boa imagem do Módulo para os palestrantes”.

Jéssica disse ainda que os alunos se dedicaram em trazer palestrantes que nunca haviam participado da Semana Institucional. Para Raell Nunes, da mesma turma de Jéssica, foi difícil organizar tudo, já que para quase todos os envolvidos tratou-se de um evento de grandes proporções. “No final, deu tudo certo, comemoramos bastante porque tudo saiu como combinamos”, disse.

Contribuiu muito para a nossa formação o fato de nós aprendermos como receber as pessoas e elas se sentirem à vontade com o que planejamos para elas. Se conseguirmos isso quando formos exercer nossa profissão, quem sabe um dia, na assessoria de imprensa, vai ser muito favorável”, finalizou Raell.

Mas qual a relação entre receber bem os convidados e a prática de jornalismo? Galvão responde: “Tem tudo a ver uma coisa com a outra, é uma ação prática de jornalismo institucional, jornalismo corporativo, jornalismo empresarial, que hoje é a área que mais cresce e que mais dá emprego para jornalistas, principalmente aqui em nossa região, do Litoral Norte. É uma das áreas mais importantes do jornalismo.”

A dedicação foi tal, que os alunos chegaram a sugerir quais palestrantes deveriam participar da Semana Institucional. Foi o caso de Ivânio Abreu, do sexto semestre de Jornalismo, que indicou os produtores do programa “Brasil Urgente”, da Rede Bandeirantes, a virem preencher a programação de sexta-feira (22/09).

A sexta-feira estava sem palestrante, e eu tenho um amigo que trabalha lá como produtor do Brasil Urgente também. Através dele, conheci a Elisângela e o Rodrigo. Eles estavam de férias, então perguntei se eles topariam. Eles gostaram da ideia, e o professor Galvão apoiou totalmente. Após todos os acertos, vieram e deu tudo certo”, explicou o aluno.

O professor coordenador elogiou a forma com que os alunos se portaram durante a Semana Institucional, e ressaltou que todos se posicionaram como verdadeiros profissionais. “Eu recebi feedback da diretoria da instituição elogiando a postura profissional deles e enfatizei que foi essa a nossa intenção. Fiquei muito feliz, achei um trabalho muito legal, não só pelo fato de ter me envolvido mais esse ano, mas por eles, os alunos, terem se envolvido mais”, finalizou.

 Toda a montagem e organização da Semana Institucional foi feita dentro de classe, em duas disciplinas do terceiro ano do curso de Jornalismo, ministradas pela professora Daniella Aragão. Na primeira disciplina, Gestão da Comunicação Institucional, foi discutida toda a questão teórica de organização de eventos. A parte prática foi desenvolvida na outra disciplina, Núcleo da Comunicação Institucional.

Na saída do evento, alunos destacam a importância das colocações sobre estágio feitas por Tiago Bezerra.

Tiago Bezerra relata o inicio de sua experiência como estagiário na Rádio Band-Vale. (Foto: Bianca Oliveira)

A luta em busca de estágio foi o tema que monopolizou a palestra de Tiago Bezerra, estagiário da Rádio Band Vale e repórter e apresentador da TV Bandeirantes, na quarta-feira(20), durante a semana institucional do Módulo. Tiago está no último ano de Jornalismo, mas já atua como profissional na TV, embora ainda faça estágio em Rádio.

A experiência de Tiago contagiou a estudante Karina Fagundes, do segundo semestre de Jornalismo. Ela disse que a palestra foi mais do que ela esperava e que o estágio em si não era como pensava. “Antes eu imaginava que a gente precisava necessariamente ter um contato para entrar em uma grande empresa pra você começar no ramo que escolhesse, mas Tiago mostrou que não. Ressaltou que precisamos correr atrás do que queremos e que nós mesmos fazemos a nossa oportunidade.” Karina disse ainda não ter feito estágio, mas que se puder escolher, optará pelo rádio.

Estudantes atentos na palestra do Jornalista Tiago Bezerra. (Foto: Gabriela Paternella)

Já o estudante Israel Sousa Nunes, do sexto semestre de Jornalismo, gostou da palestra porque se identificou com a história de Tiago, pelo fato de ser estagiário no primeiro ano e de tentar ser criativo sempre, característica ressaltada pelo palestrante. Israel começou como frila no jornal Tamoios News. “Fui ganhando confiança do dono do jornal até que virei o repórter de Ubatuba, aliás o único daqui.”

O estudante afirma que a maior dificuldade como estagiário foi ter contatos, porque ninguém quer fazer contato com estagiários, exceto algumas pessoas. Pra ele, a mensagem que ficou da palestra foi mesmo a de ser criativo “No estágio, para você se destacar é preciso ser criativo e além de tudo proativo. Não se pode deixar escapar a chance de algo melhor.”

O profissional, ainda estudante, relata sua trajetória em busca de uma vaga por estágio

Tiago atualmente ainda estagia na rádio Band Vale FM e trabalha na TV Band (Foto: Gabriela Petarnella)

Exemplos de dedicação, perseverança e inspiração marcaram os alunos de jornalismo na palestra do apresentador de rádio, Tiago Bezerra, na quarta-feira (20). Em entrevista exclusiva antes de sua palestra, Tiago ressaltou que “dedicação é a palavra chave”. Justificou a frase pela sua própria experiencia, visto ser ainda estudante do ultimo ano do curso de jornalismo e conciliar faculdade e estágio desde o final de seu primeiro ano letivo. Salientou, no entanto, ser importante haver a divisão dos horários para não ocorrer o atropelamento entre estudos e estágio.

O estudante que já tem experiencia razoável em rádio e tv conta ter enfrentado uma maratona atrás de uma vaga por estágio na Band Vale, por quase um ano, sempre sem resposta. Mas chegou o dia que surgiu a oportunidade de uma entrevista com um antigo chefe da Band Vale FM, tudo em função de um trabalho acadêmico da faculdade. Foi justamente o que ele precisava para mostrar o que sabia fazer, e assim, ao final da entrevista, Tiago obteve sua resposta: estava contratado em seu primeiro ano de universidade. Ele garante que se não fosse sua insistência não estaria onde hoje está.

Tiago conta que desde criança tinha o sonho de um dia trabalhar na televisão. Sua primeira faculdade foi de Psicologia, na qual cursou três dos cinco anos obrigatórios. Estudou na Escola Municipal de Artes Maestro Fêgo Camargo e trabalhou como estagiário no Sítio e Museu Monteiro Lobato, onde entendeu sua vocação de comunicador. Depois disso, ainda tentou se licenciar em Arte e trabalhar como professor, o que durou pouco tempo até que finalmente começou seus estudos em Jornalismo.

Para quem ainda tem dúvidas, ou já sabe qual ramo seguir, o jornalista aconselha ser importante abraçar novas experiências, não ter medo de fazer algo que não seja o que estava nos seus planos e também criar suas próprias oportunidades, assim como ele fez.

Aos alunos que já estagiam, orienta para que não tenham medo de opinar e que não se deixem escravizar.

Alunos que estagiam se identificaram e se motivaram (Foto: Gabriela Petarnella)

Ressalta ainda que aproveitem a aprendizagem e chance de crescimento profissional. Exemplo disso é como entrou na Tv Band, após o estágio na Band Vale FM. Utilizou seus contatos feitos na rádio e a experiência profissional adquirida, trunfos que o levaram à TV, no primeiro momento como repórter.  Recentemente assumiu uma substituição como apresentador do programa Donos da Bola, que vai ao ar diariamente na Tv Band.

Ao final da entrevista, o jornalista deixa um  alerta para aqueles que enfrentarão a sua mesma maratona: “Mesmo depois de todo o esforço e dedicação, vocês ainda terão que ouvir das pessoas que foi sorte. Mas não é bem assim… é só dedicação.”

Grupo ajudou a organizar a Semana Institucional para os cursos de Jornalismo e Publicidade

Alunos do quinto e sexto semestre de jornalismo na preparação da Semana Institucional (Foto: Lucas Bueno)

Na XXIV Semana Institucional do Centro Universitário modulo, os alunos do quinto e sexto semestre ficaram responsáveis pela organização das palestras de comunicação. O evento foi aberto ao público e realizado no campus da Martim de Sá.

Os estudantes foram divididos em equipes com quatro integrantes. Cada grupo ficou responsável por um setor e assim foram realizadas reuniões com os professores da área durante o semestre para a preparação do evento.

Bruna Natalli e Raell Nunes nos bastidores da Semana Institucional (Foto: Lucas Bueno)

Foram cinco dias de palestras com temas relacionados a Jornalismo e Publicidade e Propaganda. Nelas foram abordados o  Radiojornalismo ontem e hoje, com Luciano Maluly;  User Experience, com Murilo Muniz;  Publicidade no Litoral Norte, com Gustavo Gobbato; Brasil Urgente: como é feita a produção para a TV de programa transmitido em rede nacional com Rodrigo Gabriel e Elisangela Almeida, entre outras.

Na terça-feira, os alunos tiveram já que resolver um problema.  O convidado teve que ser alterado em cima da hora. Assim,  o tema discutido foi “Estratégias de Comunicação na FUNDACC”, com Mara Cirino.

“Um dos palestrantes não pode comparecer por problemas de saúde, mas conseguimos solucionar o problema”, explicou a aluna de Jornalismo Carol Cordeiro. O tema inicial para a palestra era “Evolução histórica da comunicação”, com Antônio Fernando Costella.

Segundo a aluna de Jornalismo Bruna Natalli, os alunos sempre recebiam o suporte dos professores e por conta disso tudo ocorreu conforme planejado.

OUTRAS NOTÍCIAS

0 29
O Centro Universitário Módulo inaugurou novos laboratórios para os cursos de Engenharia Civil e Engenharia de Produção, sendo a primeira instituição do Vale do...