Assaltos nas redondezas do Módulo assustam universitários

Assaltos nas redondezas do Módulo assustam universitários

Alunos organizam abaixo-assinado por mais policiamento e o retorno do ponto de ônibus ao local anterior

O ponto de ônibus foi mudado há uma semana e os alunos anseiam pelo retorno ao local de origem. (Fonte: Maria Isabel)

Alunos do Centro Universitário Módulo estão se organizando para fazer abaixo-assinado visando aumentar a segurança no entorno da entrada do campus Martin de Sá. Segundo alguns depoimentos dos universitários e funcionários do Módulo, o problema é antigo e tende a ampliar-se em função da mudança do ponto de ônibus que foi transferido para cerca de 50 metros distantes da portaria da Universidade.  Os estudantes reivindicam a presença de mais viaturas no local e que o ponto volte para sua antiga localidade ou, então, que no novo local tenha uma iluminação melhor.

O funcionário do Módulo que ajuda na segurança da portaria do campus, Igor Rangel, explica que a Polícia Militar faz rondas frequentes nas ruas que vão em direção à faculdade, mas admite que nem isso inibe a ação  dos assaltantes. “A nova localização do ponto de ônibus, que ficava na frente da instituição, e que servia a muitos estudantes que utilizam o transporte para a volta a seus bairros e cidades, pode trazer maior incidência de assaltos.”

Os seguranças da instituição afirmam ser muito perigoso andar sozinho ou em grupos pequenos nas ruas que rodeiam a faculdade. Relatam que vários alunos já foram assaltados e apontam como lugares mais comuns das ocorrências as filas dos ônibus e o trajeto em direção aos bares vizinhos à Universidade. O segurança Igor afirma que no ano passado um pai de aluno estacionou o carro em frente ao campus e ao dirigir-se ao telefone público, foi abordado por um assaltante armado, que levou seu carro.

Posto onde os seguranças ficam na entrada do Centro Universitário Módulo (Fonte: Maria Isabel)

José Franzon, também segurança da instituição, explica que, caso haja um assalto fora dos portões da faculdade, eles não podem interferir. No máximo, podem ligar para a polícia, caso a vítima peça ajuda.

Com a mudança do ponto de ônibus, o medo alastrou-se entre os alunos. Segundo eles, a área do novo ponto tem pouca ou quase nenhuma iluminação e aos fundos existe um matagal. Bruno Lázaro e Nelson Oliveira, alunos do curso de Jornalismo, contam já terem sido assaltados, em direção ao barzinho nas proximidades de onde fica hoje o ponto de ônibus. O fato ocorreu no final do ano passado. Os ladrões levaram os celulares deles e de mais três colegas que estavam no grupo. Ao relatarem o assalto a policiais que estavam perto do local, os PMs não deram muita atenção ao ocorrido. Disseram que tomassem mais cuidado ao andar no lugar, pois esse tipo de acontecimento é frequente ali, disse o estudante Bruno.

 

NENHUM COMENTÁRIO ATÉ O MOMENTO

Leave a Reply