Alunos pedem melhorias no estacionamento

Alunos pedem melhorias no estacionamento

0 11

Atualmente existem 475 vagas para carros e motos e a última ampliação foi no ano passado

Quando faltam vagas, o jeito é estacionar em cima da calçada.

O estacionamento do Campus Martim de Sá do Centro Universitário Módulo é tema recorrente entre os alunos. Atualmente,  conta com 475 vagas, sendo 225 para carros e 250 para motos. Com a vinda dos alunos que estudavam no Campus Centro para o Campus da Martim de Sá, houve um aumento de cerca de 150 veículos estacionados na universidade, o que exigiu a ampliação do local, com a criação de mais vagas atrás do bloco III. O trabalho foi realizado em agosto do ano passado (2016). Segundo Nilson dos Santos, supervisor de Patrimônio do Módulo, os dias com mais procura de vagas para estacionar no Campus são de segunda a quinta. A Universidade não cobra qualquer taxa para os alunos e professores estacionarem no local.

Estacionamento de motos na entrada pelo portão principal da Universidade. (Fotos: Bianca Américo)

Apesar da ampliação de vagas, alguns alunos ainda reclamam. Esse é o caso de Benito Camargo que vai de moto para a faculdade. Ele reivindica a demarcação por faixas do estacionamento de motos que fica logo na entrada da portaria principal, ao lado esquerdo. Se isso for feito não ficará uma moto “enfiada atrás da outra e não atrapalhará quem colocou primeiro. quando for sair”.

 

No local, até o final do primeiro semestre, junto as motos, ficava o carrinho de pipoca de Durval Barbosa. O contrato terminou e foram abertas ali mais vagas para as motos. Barbosa concorda que não era correto ter um estacionamento perto das barracas de comida, “sem falar que é muito arriscado; perdi as contas de quantas vezes as motos paravam quase em cima das pessoas”,

Já a aluna de Pedagogia, Evelyn Benedito, reivindica melhorias no piso onde os carros ficam estacionados.  “Ninguém merece estacionar na lama, nem em cima das plantas”, desabafa.

 

 

 

NENHUM COMENTÁRIO ATÉ O MOMENTO

Leave a Reply